Busy. Please wait.
or

show password
Forgot Password?

Don't have an account?  Sign up 
or

Username is available taken
show password

why


Make sure to remember your password. If you forget it there is no way for StudyStack to send you a reset link. You would need to create a new account.
We do not share your email address with others. It is only used to allow you to reset your password. For details read our Privacy Policy and Terms of Service.


Already a StudyStack user? Log In

Reset Password
Enter the associated with your account, and we'll email you a link to reset your password.

Remove Ads
Don't know
Know
remaining cards
Save
0:01
To flip the current card, click it or press the Spacebar key.  To move the current card to one of the three colored boxes, click on the box.  You may also press the UP ARROW key to move the card to the "Know" box, the DOWN ARROW key to move the card to the "Don't know" box, or the RIGHT ARROW key to move the card to the Remaining box.  You may also click on the card displayed in any of the three boxes to bring that card back to the center.

Pass complete!

"Know" box contains:
Time elapsed:
Retries:
restart all cards




share
Embed Code - If you would like this activity on your web page, copy the script below and paste it into your web page.

  Normal Size     Small Size show me how

pcivil.juiz.aux.juiz

Juiz e Auxiliares da Justiça 1 - Juiz, impedimento suspeição

QuestionAnswer
01. As decisões do Poder Judiciário, em sua maioria, são proferidas por juízes monocráticos. Como é a atuação do juiz frente às outras partes (posição igual/superior)? O juiz está no mesmo nível das partes na condução da causa, tendo ele mesmo de observar o contraditório como regra de conduta, alocando-se em uma posição acima das partes apenas quando impõe a sua decisão.
02. O juiz possui um rol de deveres/poderes a fim de exercer a contento as suas atribuições. Em relação ao poder de determinar medidas coercitivas para assegurar o cumprimento de ordem judicial, qual a novidade trazida pelo NCPC? No CPC/73 a adoção de medida coertivas restringia-se às obrigações de fazer, não-fazer e entregar coisa, sobrando para obrigações de pagar somente a penhora. Agora tais medidas podem ser aplicadas às obrigações de pagar (objeto pecuniário)
03. O juiz possui um rol de deveres/poderes a fim de exercer a contento as suas atribuições. No que atine a flexibilização procedimental, o que dispõe o NCPC? O juiz pode dilatar os prazos processuais e alterar a ordem de produção dos meios de prova para adequá-los às necessidades do conflito de modo a conferir maior efetividade.
04. O juiz possui um rol de deveres/poderes a fim de exercer a contento as suas atribuições. A flexibilização do procedimento é um de seus poderes. Por que a doutrina informa que este poder é mitigado? Por se trata de flexibilização limitada conforme a necessidade do caso prático de ampliar os prazos e de inverter a ordem de produção de provas
05. O juiz possui um rol de deveres/poderes a fim de exercer a contento as suas atribuições. A flexibilização do procedimento é um de seus poderes. Quais os parâmetros a ser observado nos prazos? 1) Não poderá será reduzido determinado prazo processual (só ampliar) e 2) Somente é possível a ampliação do prazo antes de escoado.
06. O juiz possui um rol de deveres/poderes a fim de exercer a contento as suas atribuições. Entre os poderes está o interrogatório livre das partes. Em que consiste e qual a sua limitação? O juiz poderá determinar, a qualquer tempo, o comparecimento pessoal das partes, para inquiri-las sobre os fatos da causa, porém estas declarações não poderão gerar a confissão.
07. O juiz possui um rol de deveres/poderes a fim de exercer a contento as suas atribuições. Entre os poderes está a possibilidade de representar para a coletivização de demandas. Em que consiste? quando o juiz se deparar com diversas demandas individuais repetitivas, deve oficiar o Ministério Público, a Defensoria Pública e outros legitimados para, se for o caso, promover a propositura da ação coletiva respectiva.
08. O juiz possui um rol de deveres/poderes a fim de exercer a contento as suas atribuições. Como o princípio do non liquet é aplicado ao juiz? Por este princípio, o juiz não se exime de decidir sob a alegação de lacuna ou obscuridade do ordenamento jurídico.
09. O juiz possui um rol de deveres/poderes a fim de exercer a contento as suas atribuições. Neste contexto o juiz se encontra subordinado ao princípio da proibição do non liquet. O que ele faz quando no processo não há provas suficientes para julgamento? Deverá aplicar a regra do ônus da prova, que consta do art. 373, do NCPC, condenando aquele a quem competia o ônus de provar seu direito.
10. O juiz possui um rol de deveres/poderes a fim de exercer a contento as suas atribuições. Neste contexto o juiz se encontra subordinado ao p. da proibição do non liquet. Qual a conduta do magistrado se não houver lei para subsumir ao caso concreto? Deve aplicar a LINDB, isto é, na falta de norma legal específica, o juiz se valerá da analogia, dos costumes e dos princípios gerais do direito (normas de integração do direito).
11. O juiz possui um rol de deveres/poderes a fim de exercer a contento as suas atribuições. Neste contexto o juiz se encontra subordinado ao p. da proibição do non liquet. A fim de aplicar tal princípio, em regra, o magistrado pode decidir por equidade? Em regra não. O juiz só decidirá por equidade nos casos previsto em lei. Ex: permite-se o julgamento de processos de acordo com o princípio da equidade quando o caso envolver a jurisdição voluntária.
12. O juiz possui um rol de deveres/poderes a fim de exercer a contento as suas atribuições. Como o princípio da congruência restringe a atividade do magistrado? O juiz decidirá o mérito nos limites propostos pelas partes, sendo-lhe vedado conhecer de questões não suscitadas a cujo respeito a lei exige iniciativa da parte.
13. O juiz possui um rol de deveres/poderes a fim de exercer a contento as suas atribuições. Pelo princípio da adstrição, o juiz somente pode decidir do mérito nos limites proposto pela partes. Como fica as questões de ordem pública no processo? É uma exceção a tal princípio, pois ao juiz é permitido decidir questões de ordem pública, ainda que não alegadas pelas partes.
14. O juiz possui um rol de deveres/poderes a fim de exercer a contento as suas atribuições. O que fará o magistrado caso se convença, pelas circunstâncias, de que o autor e réu ser serviram do processo para praticar ato simulado ou conseguir fim vedado? o juiz proferirá decisão que impeça os objetivos das partes, aplicando, de ofício, as penalidades da litigância de má-fé.
15. O juiz possui um rol de deveres/poderes a fim de exercer a contento as suas atribuições. Em que hipóteses o juiz responderá, civil e regressivamente, por perdas e danos? I - no exercício de suas funções, proceder com dolo ou fraude; II - recusar, omitir ou retardar, sem justo motivo, providência que deva ordenar de ofício ou a requerimento da parte.
16. O juiz possui um rol de deveres/poderes a fim de exercer a contento as suas atribuições. A responsabilidade do magistrado por recursar, omitir ou retardar providência que deveria ordenar de ofício, verifica-se a partir de quando? somente serão verificadas depois que a parte requerer ao juiz que determine a providência e o requerimento não for apreciado no prazo de 10 (dez) dias.
17. A fim de garantir a imparcialidade do juiz, o NCPC elenca os casos de impedimento e suspeição. Um dos impedimentos está relacionado a sua intervenção anterior no processo. Na qualidade de quem não pode ter atuado o juiz? Não pode ter atuado na qualidade de mandatário da parte, perito, membro do MP ou testemunha.
18. A fim de garantir a imparcialidade do juiz, o NCPC elenca os casos de impedimento e suspeição. O juiz, parente até 3º grau de defensor, adv e MP, está entre os casos de impedimento. Quando se verifica tal impedimento? Esse impedimento só se verifica quando o defensor público, o advogado ou o membro do Ministério Público já integrava o processo antes do início da atividade judicante do juiz.
19. A fim de garantir a imparcialidade do juiz, o NCPC elenca os casos de impedimento e suspeição. O juiz, parente até 3º grau de defensor, adv e MP, está entre os casos de impedimento. O parente que trabalhe no escritório de adv está incluído? Sim Este impedimento também se verifica no caso de mandato conferido a membro de escritório de adv que tenha em seus quadros advogado que individualmente ostente a condição nele prevista, mesmo que não intervenha diretamente no processo.
20. A fim de garantir a imparcialidade do juiz, o NCPC elenca os casos de impedimento e suspeição. Em relação a parte pessoa jurídica, o que caracteriza o impedimento? O juiz está impedido de atuar no processo quando for sócio ou membro de direção ou administração de pessoa jurídica parte no processo
21. A fim de garantir a imparcialidade do juiz, o NCPC elenca os casos de impedimento e suspeição. Qual o impedimento do juiz em relação às instituições de ensino (parte)? O juiz é impedido de atuar em processo em que figure como parte instituição de ensino com a qual tenha relação de emprego ou decorrente de contrato de prestação de serviços
22. A fim de garantir a imparcialidade do juiz, o NCPC elenca os casos de impedimento e suspeição. A criação de fator superveniente a fim de caracterizar impedimento de juiz é permitido? Não. É vedada a criação de fato superveniente a fim de caracterizar impedimento do juiz.
23. A fim de garantir a imparcialidade do juiz, o NCPC elenca os casos de impedimento e suspeição. Quais são os principais casos de suspeição do magistrado apontado pelo NCPC? 1) O juiz ser amigo íntimo ou inimigo das partes ou advogados; 2) receber presentes ou ter aconselhado as partes; 3) as partes for credora ou devedora de seus parentes até 3º grau; 4) interessado no julgamento
24. A fim de garantir a imparcialidade do juiz, o NCPC elenca os casos de impedimento e suspeição. O juiz para se declarar suspeito necessita expor suas razões? Não. O magistrado poderá o juiz declarar-se suspeito por motivo de foro íntimo, sem necessidade de declarar suas razões.
25. A fim de garantir a imparcialidade do juiz, o NCPC elenca os casos de impedimento e suspeição. Há dois casos que podem levar a ilegitimidade do pedido de suspeição. Quais são eles? Será ilegítima a alegação de suspeição quando: I - houver sido provocada por quem a alega; II - a parte que a alega houver praticado ato que signifique manifesta aceitação do arguido.
26. A fim de garantir a imparcialidade do juiz, o NCPC elenca os casos de impedimento e suspeição. Em linhas gerais qual o procedimento para se alegar o impedimento e a suspeição? Após conhecimento do fato impeditivo, a parte tem 15 dias para entrar com a petição ao juiz. O juiz poderá aceitar e remeter o processo ao seu substituto ou então instruir em apartado e remeter ao tribunal para resolver a questão.
27. Após ser alegado a imparcialidade do juiz, o incidente foi distribuído ao relator no Tribunal. O que o relator deve decidir de plano em relação a este incidente? Deverá declarar em que efeitos recebe o incidente, ou seja, sem efeito suspensivo ou com efeitos suspensivos.
28. Após ser alegado a imparcialidade do juiz, o incidente foi distribuído ao relator no Tribunal. Enquanto não for declarado em que efeito é recebido o incidente quem é responsável por analisar os pedidos de tutela de urgência? Enquanto não for declarado o efeito em que é recebido o incidente ou quando este for recebido com efeito suspensivo, a tutela de urgência será requerida ao substituto legal.
29. Após ser alegado a imparcialidade do juiz, o incidente foi distribuído ao relator no Tribunal. Caso o julgamento do Tribunal seja pela procedência do incidente, quais serão as consequências da decisão? a) condenação do magistrado nas custas; b) remessa dos processos ao substituto; c) o acórdão indicará a partir de qual momento será declarado a nulidade por impedimento ou suspeição.
30. A fim de garantir a imparcialidade do juiz, o NCPC elenca os casos de impedimento e suspeição. Como funciona o impedimento legal para a circunstância de haver 2 ou mais juízes parentes até o 3º grau? O primeiro que conhecer do processo impede que o outro nele atue, caso em que o segundo se escusará, remetendo os autos ao seu substituto legal.
31. A fim de garantir a imparcialidade do juiz, o NCPC elenca os casos de impedimento e suspeição. Além do magistrado a quem mais se aplica as hipóteses elencadas no NCPC? Aplicam-se ao membro do MP; auxiliares da justiça e demais sujeitos imparciais.
32. A fim de garantir a imparcialidade do juiz, o NCPC elenca os casos de impedimento e suspeição. Estes casos também são aplicados a outros sujeitos imparciais. Qual é o procedimento? A parte interessada faz a arguição de impedimento ou suspeição em petição dirigida ao juiz. O juiz manda processar o incidente em separado e sem suspensão do processo.
Created by: sigurd