Busy. Please wait.
or

show password
Forgot Password?

Don't have an account?  Sign up 
or

Username is available taken
show password

why


Make sure to remember your password. If you forget it there is no way for StudyStack to send you a reset link. You would need to create a new account.
We do not share your email address with others. It is only used to allow you to reset your password. For details read our Privacy Policy and Terms of Service.


Already a StudyStack user? Log In

Reset Password
Enter the associated with your account, and we'll email you a link to reset your password.

Remove Ads

Farmacodinâmica

Quiz yourself by thinking what should be in each of the black spaces below before clicking on it to display the answer.
        Help  

Term
Definition
farmacodinâmica   Utiliza-se o termo farmacodinâmica para descrever os efeitos de um fármaco no corpo. Tipicamente, esses efeitos são descritos em termos quantitativos.  
A potência (EC50) de um fármaco   refere-se à concentração em que o fármaco produz 50% de sua resposta máxima.  
A eficácia (Emáx.)   refere-se à resposta máxima produzida pelo fármaco.  
A eficácia pode ser considerada como o estado em que a sinalização mediada pelo receptor torna-se máxima, de modo que qualquer quantidade adicional do fármaco   não irá produzir nenhuma resposta adicional. Esse estado é habitualmente alcançado quando todos os receptores estão ocupados pelo fármaco.  
receptores de reserva   Alguns fármacos são capazes de produzir uma resposta máxima quando menos de 100% de seus receptores estão ocupados; os receptores remanescentes podem ser denominados de ...  
RELAÇÕES DE DOSE–RESPOSTA QUANTAIS   A relação de dose–resposta quantal representa graficamente a fração da população que responde a determinada dose de um fármaco como função da dose deste fármaco.  
Os tipos de respostas que podem ser examinados com a relação de dose–resposta quantal incluem a   efetividade (efeito terapêutico), a toxicidade (efeito adverso) e a letalidade (efeito letal).  
Os tipos de respostas que podem ser examinados com a relação de dose–resposta quantal incluem a efetividade, a toxicidade e a letalidade. As doses que produzem essas respostas em 50% de uma população são conhecidas como   dose efetiva mediana (ED50), dose tóxica mediana (TD50) e dose letal mediana (LD50), respectivamente.  
Muitos receptores de fármacos podem ser categorizados dentro de dois estados de conformação, que estão em equilíbrio reversível entre si.   Esses dois estados são denominados estado ativo e estado inativo.  
Um fármaco que, através de sua ligação a seu receptor, favorece a conformação ativa deste receptor é denominado   agonista  
um fármaco que impede a ativação do receptor pelo agonista é designado como   antagonista  
Alguns fármacos não se enquadram exatamente dentro da definição simples de agonista e antagonista; esses fármacos incluem os   agonistas parciais e os agonistas inversos  
AGONISTAS   Um agonista é uma molécula que se liga a um receptor e o estabiliza numa determinada conformação (habitualmente na conformação ativa).  
Quando ligado por um agonista, um receptor típico tem mais tendência a encontrar-se na sua conformação ativa do que na sua conformação inativa. Dependendo do receptor, os agonistas podem ser   ser fármacos ou ligantes endógenos  
ANTAGONISTAS   Um antagonista é uma molécula que inibe a ação de um agonista, mas que não exerce nenhum efeito na ausência do agonista.  
Os antagonistas podem ser divididos em   antagonistas de receptores e antagonistas sem receptores.  
liga-se ao sítio ativo (sítio de ligação do agonista) ou a um sítio alostérico de um receptor.   O antagonista de receptor  


   






 
share
Embed Code - If you would like this activity on your web page, copy the script below and paste it into your web page.

  Normal Size     Small Size show me how
Created by: Rafaelhra